sábado, 19 de novembro de 2016

Práticas mânticas e oraculares dos gaélicos pré-cristãos

Práticas mânticas e oraculares entre os gaélicos pré-cristãos

                Escrevi esse texto para fazer uma compilação de todos os métodos de adivinhação usados pelos antigos gaélicos e a forma sobre como podemos aplicar esses métodos nos dias de hoje. Apesar de alguns serem basicamente impossíveis ou difíceis de se obter os materiais necessários, muitos são relativamente fáceis e podem ser usados por quaisquer pessoas a qualquer hora. Esse texto foi originalmente postado em um antigo blog meu “O Caminho do Fáith”, mas esta é uma versão editada onde acrescentei e mudei algumas coisas. Se tratando de adivinhação e de materiais escassos, não é preciso dizer que, embora tenha informações históricas e embasadas, a maior parte dos procedimentos e métodos de execução que vou sugerir aqui se trata de gnoses pessoais (o conhecidíssimo “achismo”).

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Feliz Samhain!



Oíche Shamhna shona daoibh! Feliz Samhain para todos vocês! Estou passando aqui para desejar a todos uma boa celebração de Samhain, o festival que celebra a “morte” da natureza e a chegada do inverno, época na qual o outro mundo abre suas passagens e os mortos e outros espíritos podem transitar livremente para cá. Com a chegada do inverno no hemisfério norte, os ancestrais são relembrados e honrados nessa data, através da recitação de suas histórias e feitos e oferendas são deixadas do lado de fora para eles, assim como velas nas janelas para guiar sua passagem de volta ao outro mundo. Dagda e Morrígan são duas divindades tradicionalmente cultuadas no festival, tal como Cailleach – a deusa que anuncia o inverno – e mais recentemente, Donn – o deus que recebe os mortos em sua casa, Tech Donn. Separei alguns materiais para auxiliar em suas celebrações e desejo a todos um bom ano novo religioso!

Samhainn, de Annie Loughlinn (traduzido)
O lamento da Velha Mulher de Beare (texto mitológico irlandês)
Tech Duinn (texto mitológico irlandês)
O culto aos mortos, de J. A. MacCulloch (traduzido)
Donn, da Jones’ Celtic Encyclopedia (em inglês)
Cailleach, da Jones’ Celtic Encyclopedia (em inglês)
Série de textos sobre Cailleach, do Tairis Tales (em inglês)
Celebrando o Samhainn, de Annie Loughlinn (traduzido)
For the Ancestors, dos sites “Shrines” do Northern Paganism (em inglês; apesar de ser um site da religião nórdica, ele possui bons artigos que tratam sobre a ancestralidade e os ancestrais em um sentido muito mais amplo que pode se estender para outras religiões, além de dar também exemplos de orações e formas de honrar aqueles que já se foram)
Receita de Colcannon
Receita de Barmbrack
Receita de Torta de abóbora

Barmbrack para o Samhain

O barmbrack, traduzido literalmente como “pão malhado”, em alusão às frutas cristalizadas, é um alimento irlandês bastante consumido na época do Samhain. Também conhecido como bairín breac, trata-se de um pão ou bolo (similar ao panetone encontrado aqui no Brasil), cujos ingredientes principais são o chá preto, frutas secas (tradicionalmente sultanas e uvas passas) e farinha. Como o Samhain é uma época onde diversos jogos divinatórios são feitos, uma moeda normalmente era adicionada na massa antes de ir para o forno, e a pessoa que pegasse a fatia do pão com a moeda dentro teria sorte por todo o ano. O barmbrack é consumido na Irlanda com manteiga passada na fatia, mas como não gosto muito de mistura de doce com salgado, não consumi dessa forma, portanto, vai de cada um. O barmbrack também é uma ótima opção para o café da manhã do próprio dia do Samhain, 1º de novembro.

Colcannon para o Samhain

O colcannon é outro prato irlandês tradicional bastante consumido no Samhain, consistindo basicamente de um purê de batatas misturado com leite, manteiga, repolho ou repolho crespo e cebolinha. É também conhecido em irlandês como cál ceannann, significando “repolho de cabeça branca”, e similar ao barmbrack, pequenos amuletos eram colocados dentro do prato, cada um simbolizando algo que a pessoa que o encontrou obteria: uma moeda significava riqueza, um anel simbolizava casamento, um botão era uma graduação, uma fúrcula era a realização de um desejo, e etc. Era servido em um grande prato único para toda a família consumir, e no meio do colcannon era “cavado” um buraco onde era colocada bastante manteiga para derreter com o calor da comida, de forma que todos podiam passar a colher na manteiga para consumir junto com o purê.

Torta de abóbora para o Samhain

Essa receita de torta de abóbora é uma boa pedida para o Samhain. Apesar de não ser “tradicional”, ela é perfeita para quem fez as lanternas do Samhain com a abóbora (que originalmente eram feitas com nabos, por sinal), e não sabem o que fazer com a abóbora que tirou de dentro! Embora a ábobora não seja um alimento tradicional da estação (ela sequer é nativa dos países gaélicos), ela está profundamente enraizada no imaginário ocidental do Halloween, que é o “descendente” do Samhain, e, embora possa ser colhida no ano inteiro, a abóbora inevitavelmente evoca bastante essa imagem de “colheita” bastante presente no Samhain (apesar de tudo que fosse deixado no campo após a estação não devesse ser consumido de forma alguma!).