terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Por onde começar?

 Eu sei que tem muita informação pros recém-chegados nesse caminho, e, pensando nisso, decidi reunir uma série de postagens e links para vocês. É algo como um ponto de partida para quem quer estudar e praticar o Politeísmo gaélico. A prática não deve ser inferior ao estudo, e vice-versa. É necessário aplicar o que se estuda na prática. Por onde começar?

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/af/Quercus_robur.jpg

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O nascimento dentro do Politeísmo gaélico



 Há muitas informações nos países gaélicos sobre o nascimento de criança. A maior preocupação era, entretanto, com as “fadas”, que eram visto como o maior perigo para a mãe e para o bebê.  Acreditava-se que as mamães deviam ser protegidas contras as fadas, pois as mesmas podiam pegar o espírito delas e levar para as colinas, para alimentar os bebês fadas, uma vez que as mães-fadas eram incapazes de amamentar sua prole. Da mesma forma, os bebês humanos eram substituídos por bebês fadas chamados de “changelings”, crianças feias, dementes, e que nunca cresciam em idade ou tamanho. Existia uma tradição nas partes rurais da Irlanda, que quando uma criança nascesse, o pai ou alguma outra pessoa, imergia a criança três vezes em água ou leite. O uso da água em cerimônias de batismo pode soar cristão, mas o uso do leite, talvez ecoe com a tradição de que a St. (Deusa) Brigit foi lavada com leite por sua mãe na soleira da porta assim que ela nasceu. O uso do leite, portanto, pode ser algo que tenha suas raízes nos tempos pagãos.