quinta-feira, 19 de junho de 2014

O Verão chegou



O Verão chegou

"O verão chegou, saudável e livre,
Pelo bosque marrom ser inclinado;
O esguio e ágil veado salta,
E o caminho das focas é suave.

O cuco canta uma doce música,
Por isso o repousante sono é suave;
Gentis pássaros saltam na colina,
E rápidos veados cinza.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

A prática dentro do Politeísmo gaélico


A prática dentro do Politeísmo gaélico

                A seguir estão algumas sugestões simples para a prática do Politeísmo gaélico. Para começar, eu gostaria de sugerir a construção de um pequeno altar. O altar será o foco da maioria das suas práticas dentro de casa. É um lugar para você orar, cantar e fazer oferendas aos déithe – os deuses. Idealmente, o altar se localiza perto da lareira, que é considerada o centro da casa; como muitos dos praticantes aqui no Brasil não têm uma lareira, o altar pode se localizar em qualquer lugar da casa que você julgue ser o “centro”. Ele pode ser em uma prateleira em uma estante ou você pode colocar sobre uma pequena mesa. 

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

An Gealach Úr - Um rito de Lua Nova



Artigo do site Gaol Naofa, autor Tomás Flannabhra, traduzido com a permissão do mesmo. Todos os direitos reservados.  


Copyright © 2007-2014 An Chuallacht Ghaol Naofa. All Rights Reserved.


 Na lua nova de cada mês, os membros da Gaol Naofa se juntam em espírito para honrar os deuses e os espíritos, e para celebrar nosso patrimônio ancestral, por esse meio, adotando a solidariedade e as bênçãos dos dé ocus andé.

 Embora modernamente a lua nova se refira ao período escuro quando a lua não é mais visível à olho nu, dentro do Carmina Gadelica, ela se refere ao significado mais antigo dessa fase. Esta é quando a primeira crescente visível aparece sobre o horizonte ocidental por um breve momento antes do pôr do sol e da lua. Como este é um momento influenciado pela localização geográfica do observador, nós agora deixamos aproximadamente uma semana em aberto e sugerimos que você realize o seu rito Gealach Úr da Gaol Naofa (ou o seu próprio rito assim como o nosso é apenas um exemplo) quando a lua nova estiver visível em sua localização. 

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Por onde começar?

 Eu sei que tem muita informação pros recém-chegados nesse caminho, e, pensando nisso, decidi reunir uma série de postagens e links para vocês. É algo como um ponto de partida para quem quer estudar e praticar o Politeísmo gaélico. A prática não deve ser inferior ao estudo, e vice-versa. É necessário aplicar o que se estuda na prática. Por onde começar?

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/af/Quercus_robur.jpg

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O nascimento dentro do Politeísmo gaélico



 Há muitas informações nos países gaélicos sobre o nascimento de criança. A maior preocupação era, entretanto, com as “fadas”, que eram visto como o maior perigo para a mãe e para o bebê.  Acreditava-se que as mamães deviam ser protegidas contras as fadas, pois as mesmas podiam pegar o espírito delas e levar para as colinas, para alimentar os bebês fadas, uma vez que as mães-fadas eram incapazes de amamentar sua prole. Da mesma forma, os bebês humanos eram substituídos por bebês fadas chamados de “changelings”, crianças feias, dementes, e que nunca cresciam em idade ou tamanho. Existia uma tradição nas partes rurais da Irlanda, que quando uma criança nascesse, o pai ou alguma outra pessoa, imergia a criança três vezes em água ou leite. O uso da água em cerimônias de batismo pode soar cristão, mas o uso do leite, talvez ecoe com a tradição de que a St. (Deusa) Brigit foi lavada com leite por sua mãe na soleira da porta assim que ela nasceu. O uso do leite, portanto, pode ser algo que tenha suas raízes nos tempos pagãos.