domingo, 8 de outubro de 2017

A caverna encantada de Keshcorran

Bruidhean Chéise Corainn
A caverna encantada de Keshcorran

1. Foi uma grande e usual competição de caça que Finn, filho de Cumall, filho de Art, filho de Trenmor, neto de Baeiscne, convocou com os corajosos e graciosos Fianna[1] dos gaélicos pelas nobres bordas de Corran[2], entre a bela tuatha[3] de Leyny[4], dentro dos confins de Brefny[5], no refúgio sem trilhas de Glendallan[6], nas regiões abundantes em noz e mastros[7] de Carbury[8], nos fortes abrigos dos bosques de Kyleconor[9] e sobre a vasta expansão plana de Moyconall[10].

2. Finn então sentou-se no monte de caça no topo da alta Keshcorran, e naquele instante, ficaram lá com ele ninguém menos que seus dois cães-lobos[11], Bran e Sceolaing, e Conan Mael mac Morna. Era doce para Finn olhá-los, escutar a música dos cães de caça, às claras torcidas alegres dos jovens, as falas de guerreiros atléticos e as profundas vozes de homens poderosos, aos vários assobios dos Fianna, em todas as selvagens e desertas florestas da terra, pois mesmo nas fronteiras das regiões estes gritos de caça que eles emitiam eram ouvidos livremente. Estes gritos eram tão altos que os veados levantavam de seus lugares, os texugos saíam de seus buracos, os pássaros levantavam vôo, e nesse ponto, cada colérico, ágil e feroz cão-lobo saía de sua coleira para correr pela tulach.[12]


3. No entanto, o governante de Keschorran naquela época eram Conaran, filho de Imidel, um chefe dos Tuatha Dé Danann, e assim que ele percebeu que os gritos dos cães de caça soavam tortuosamente, ele mandou suas três filhas (que eram cheias de feitiçaria) irem se vingar de Finn pela sua caçada. As mulheres procuraram a entrada da caverna que estava na tulach e lá elas se sentaram uma ao lado da outra. Elas penduraram sobre três galhos tortos e retorcidos de azevinho o máximo de encantados e pagãos fechos de fios[13] de forma que os galhos começaram a bobinar no sentido anti-horário na entrada da caverna. Elas não ficaram assim por muito tempo até que Finn e Conan chegaram no canto da caverna e perceberam as três horríveis bruxas sentadas ocupadas na entrada: suas três cabeças grosseiras estavam com o cabelo todo desgrenhado, seus olhos tinha reuma e eram vermelhos e turvos, suas três bocas eram negras e deformadas, nas gengivas de cada uma das terríveis mulheres estavam uma fileira das mais afiadas venenosas e curvas presas, seus três pescoços eram ossudos (isto é, descarnados) mantendo suas cabeças sobre aquelas formidáveis bruxas, seus seis braços eram extraordinariamente longos, enquanto as horríveis e bestiais unhas que guarneciam cada um de seus dedos pareciam o chifre de ponta afiada de um boi de chifrada grosseira, elas tinham seis pernas curvadas e fofas espessamente cobertas de pelo para apoiá-las e em suas mãos estavam três rocas[14] duras e pontudas.

4. Para conseguirem ver as bruxas, Finn e Conan passaram pelos fechos, e logo em seguida, um tremor mortal apoderou-se deles e eles imediatamente perderam sua força, e com isso, aquelas valentes bruxas foram rápidas em amarrá-los indissoluvelmente. Outro par dos Fianna veio, e com eles, os Filhos de Nemhann: eles passaram pelos fios indo até Finn e Conan e perderam sua força também, e pelas mesmas bruxas, eles foram amarrados em rígidos laços. Estes guerreiros foram então levados para o interior da caverna.

5. Eles ficaram assim por pouco tempo, até Oscar e Mac Lugach chegarem, tendo trazido com eles os gentis e nobres chefes do clã Baeiscne; o clã Morna também estava no lugar e, quando eles olharam para os novelos, não havia em um único homem tanta força como a de uma mulher no trabalho de parto. Os filhos de Corcran apareceram e, quando viram os fios, sua energia e coragem desapareceram da mesma forma. Em resumo, os filhos de Smól e todos os Fianna, ambos gentis e simples, foram amarrados, e assim, como prisioneiros culpados fortemente amarrados e imponentemente atados, eles foram transportados pelas bruxas para misteriosos e escuros buracos, para dentro de labirintos sombrios e perplexos.

6. No entanto, os cães-lobos ladravam grandemente na entrada da caverna, que demandavam a presença de seus senhores e donos após sua partida e excursão. Muitos veados cheiro de feridas e ossos rachados, muitos porcos abatidos inteiramente, texugos mortalmente mutilados junto de lebres que sofreram grandemente estavam na encosta da colina após a prisão deles, que tinham levado os animais para lá.

7. Guerreiras enormes e ousadas, que seguravam em suas mãos três espadas de lâmina larga e duramente temperada, foram até o lugar onde os Fianna estavam. Elas olharam para todos os lugares em sua volta para que talvez pudessem espionar algum indivíduo ou alguém disperso dos Fianna a quem elas pudessem conferir morte e destruição permanente, mas quando falharam, elas entraram no forte com o intento de cortar em pedaços e desmembrar todos os Fianna, sem poupá-los.

8. Mas dentro de pouco tempo elas viram um único guerreiro alto, de aspecto marcial e corajoso, de dentes brancos, e o consideraram alguém habilidoso com armas; não era ninguém menos, de fato, que o leão furioso, a ‘raiva da batalha’ e a tocha que queimava no dia de investida: Goll, da grande alma, filho de Morna, filho de Cormac, filho de Mahon, filho de Garadh do Joelho Negro, filho de Aedh dos Poemas, filho de Aedh de Cenn Claire, filho de Conall, filho de (...), filho de Cet, filho de Magach, filho de Cairbre, rei de Connacht. Quando as três sombrias, estranhas e miseráveis bruxas perceberam a presença de Goll, imediatamente elas foram encontrá-lo e os dois lados (elas e ele) lutaram uma luta extrema, severa e cruel. Em todos os eventos, a fúria do herói ardia extremamente, e sobre estas damas rudes, furiosas e completamente horríveis, ele fez chover golpes mortais e pancadas grosseiras, até finalmente ele erguer a reta espada para suportar as monstruosidades que estavam em sua frente, Caemhóg e Cuillenn da Cabeça Vermelha[15], e para cada poderoso golpe dado por qualquer uma delas, Goll dava dois iguais e de porções exatas. Seu golpe era um dos três maiores golpes já dados na Irlanda: o golpe dado por Fergus, filho de Ros Rua na batalha final do grande saque pelas vacas de Cuailnge[16], que em uma varredura ele cortou ‘as três Maels de Meath’[17]; o golpe dado por Conall Cernach em Cet mac Magach, e o golpe de Goll mac Morna, com o qual ele matou Caemhóg e Cuillenn da Cabeça Vermelha, as duas filhas de Conaran mac Imidel.

9. Atrás dele estava a mais velha das filhas de Conaran, Iaran ní Chonaráin, que envolveu seus braços em volta de Goll quando ele decapitou as outras duas, mas apesar disso, Goll se forçou a girar para encará-la e apertou seus longos braços em volta dela. E assim eles lutaram, com a força de um aperto e com o esforço selvagem até Goll dar um poderoso giro na bruxa que a arremessou na terra. Ele prendeu ela rapidamente com as alças de um escudo e tirou sua espada para cortá-la em pedaços, mas ela falou: “Guerreiro que nunca foste derrotado, homem de poder que, seja em batalha ou em combate singular, nunca foste esquivado, eu entrego meu corpo e minha vida para a proteção de tua generosidade e bravura! Certamente seria melhor para ti ter todos os Fianna, sem sangue tirado de qualquer um deles; e pelos deuses que eu adoro, eu juro que tudo o que falei cumprirei para ti.”

10. Então o majestoso herói soltou suas amarras e ambos seguiram para a colina na qual os Fianna (e com eles, Finn) estavam amarrados duramente e firmemente. Aqui Goll disse: “Desamarre Fergus dos Lábios Verdadeiros e os homens da ciência dos Fianna primeiro; após eles, que o mesmo seja feito, em ordem, para Finn, Ossian, para os vinte e nove filhos de Morna e para todos os Fianna em geral.” Dessa forma, a bruxa então os libertou; os Fianna prontamente saíram da caverna e sentaram-se ao lado da tulach, e Fergus dos Lábios Verdadeiros, o poeta dos Fianna, olhou para Goll e começou a louvá-lo pelo ato que tinha feito.

11. Logo em seguida, eles viram vindo em sua direção outra estranha criatura de forma maligna e de aparência irracional e deformada, na forma de uma rugosa bruxa cheia de veias e tendões nodosos, e sobre cada ponta de cabelo daquela sobrancelha e cílios peludos e grisalhos que a guarneciam, uma maçã ou um grande abrunho facilmente se prenderia. Ainda assim, um par de olhos serosos queimavam em sua cabeça, um nariz azulado e chato coroava os arredores de sua boca negra, deformada e murcha, e dentro daquele orifício escancarado estava um horrível e irregular conjunto de mastigadores; seus braços eram magros, mas com músculos duros, suas unhas eram longas e formidáveis como a de um cão-lobo, ela vestia uma forte e infrangível armadura, em sua coxa estava uma espada de lâmina larga e reta e na parte superior de suas costas (isto é, em seus ombros) estava um grande escudo do padrão de um guerreiro.

12. Nessa aparência, ela veio até a presença de Finn e colocou uma obrigação sobre ele para fornecer um de seus homens para ela a fim de lutarem um combate singular. Finn disse para Ossian, “Vai, meu filho, e nos livra desta bruxa incomum.” Ossian respondeu: “Depois de todos os maus tratos e injúria que obtive dos outros, não sou capaz; e esta é Iarnan, a filha de Conaran, vindo para vingar suas irmãs.” Assim, Ossian, Oscar, Conan, Mac Lugach, Dermot, Cailte mac Ronan e Cairell, com os chefes restantes dos Fianna, recusaram encontrar com a bruxa, e então Finn disse que ele mesmo a atacaria. No entanto, Goll mac Mama disse: “Finn, não te convém lutar com uma bruxa, portanto, eu lutarei com ela, pois quando a necessidade é grande, então se prova o amigo.”

13. Prontamente Goll foi encontrá-la e entre eles foi lutado um corajoso ataque, uma luta desesperada, durante o qual nenhum dos dois distinguia no outro qualquer nota de fraqueza ou de debilidade. Em todos os eventos, Goll passou sua faixa direita para a alça de seu escudo e sacou sua lâmina mortal, com a qual ele fez um arremesso livre de todo desvio e divergência e a dirigiu através do ornamento do escudo da bruxa, atravessando seu coração e saindo em suas costas. Dessa forma, ela então morreu instantaneamente.

14. Após a morte das três filhas de Conaran mac Imidel, Goll foi até Keshcorran, e do bruiden ou “forte” ele fez uma vermelha e brilhante pilha de chamas e todas as riquezas que ele encontrou lá dentro foi para os Fianna. Finn então concedeu sua própria filha, Caemh (ou ‘A Magra’), chamada de Cneisghel (‘Da Pele Branca’), para Goll. Foi ela que lhe deu um famoso filho: Fed, filho de Goll mac Morna, que foi morto pelos Fianna neste mesmo rath[18] quando completou seus dezessete anos.

15. Esta então foi a história da Caverna Encantada de Keshcorran.

Fonte: Silva Gadelica, volume 2. “The Enchanted Cave of Keshcorran”, traduzido por Standish O’Grady, páginas 343-347. Disponível em: <http://celt.ucc.ie/published/T303021/index.html>. Acesso em: 16 de agosto de 2017.

Para acessar o arquivo em .pdf, clique aqui.
     



[1] Os fianna eram um grupo de guerreiros da Irlanda, liderados por Finn mac Cumhaill. (N.T.)
[2] Pode se referir às próprias cavernas de Keshcorran, localizadas em Keash, no Condado de Sligo, ou à baronia (subdivisão de um condado) Corran, localizada no sul do Condado de Sligo. Vários locais da Irlanda tem o nome “Corran”, mas acredito que o texto esteja se referindo à um destes dois. (N.T.)
[3] Palavra traduzida como “tribo”. (N.T.)
[4] Leyne (ou Luíghne) é uma baronia no centro do Condado de Sligo. (N.T.)
[5] Brefny era o nome de um território que pertencia ao Reinado de Breifne – uma confederação de tribos comandada por um rei da dinastia Uí Briúin. O território hoje corresponde aos condados de Leitrim e Cavan, junto com algumas partes do Condado de Sligo. (N.T.)
[6] De acordo com o livro “Origin and History of Irish Names of Places”, de P. W. Joyce, pode ser o mesmo que Clondallan, no Condado de Donegal. (N.T.)
[7] Em botânica, é a designação dada para o fruto de árvores florestais, como bolotas, ou o fruto de árvores como a faia e outros tipos da família Fagaceae. (N.T.)
[8] Carbury (ou Cairbre) é uma comunidade rural no noroeste do Condado de Kildare. (N.T.)
[9] Não encontrei sua localização. (N.T.)
[10] Ibidem.
[11] Animais híbridos resultados do cruzamento entre cães e lobos. (N.T.)
[12] Palavra traduzida como “montanha”. (N.T.)
[13] Fechos usados para enrolar um carretel de fios. (N.T.)
[14] Hastes de madeira ou outro material com o qual as mulheres enrolavam a rama de linho ou lã, por exemplo, para ser fiada. (N.T.)
[15] Uma referência talvez ao seu cabelo ruivo. (N.T.)
[16] É uma referência ao épico irlandês Táin Bó Cualnge, “O Roubo das Vacas de Cualnge/Cooley”. (N.T.)
[17] As “maels” são três colinas de cume chato localizado em Meath, chamadas no Tain Bó Cualnge de “Máela Midi”. Não encontrei o nome atual dessas três colinas. (N.T.)
[18] Um montículo de terra remanescente de habitações circulares na Irlanda. (N.T.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário