quarta-feira, 5 de abril de 2017

Os Dindshenchas em prosa: Tailtiu

94. Tailtiu

                Tailtiu, a filha de Magmór, foi a esposa de Eochu o Duro, filho de Dua o Negro. A Fortaleza dos Reféns em Tara foi construída por ele, e Tailtiu era a mãe adotiva de Lug, o filho do Campeão Mudo. Foi ela que pediu para seu marido desobstruir1 para ela o Bosque de Cúan, para que pudesse haver uma assembléia em volta de seu túmulo. Depois disso, ela morreu nas calendas de agosto e sua lamentação e jogos fúnebres foram realizados por Lugaid. Por esse motivo dizemos Lug-nasad, “Jogos de Lugh”, Lammas.

                Isso foi há mil e quinhentos anos antes do nascimento de Cristo, e antes da chegada de Patrício, a feira era realizada por todo rei que reinava na Irlanda, tendo existido quinhentas feiras em Tailtiu da época de Patrício até a Dub-oenach “Assembléia Negra” de Donchad, o filho de Fland, filho de Maelsechlainn.


                Três eram os tabus para Tailtiu: cruzar a feira antes de desmontar, olhar para ela sobre o ombro esquerdo quando estiver indo embora e fazer lançamentos não rentáveis após o crepúsculo. Por isso é Oneach Tailten, “Assembléia de Tailtiu”.

Fonte: STOKES, Whitley. “The Prose Tales from the Rennes Dindshenchas”, vol. 3. Disponível em: <http://www.ucd.ie/tlh/trans/ws.rc.16.001.t.text.html>. Acesso em: 13 de dezembro de 2017.

Notas de tradução

1. Desobstruída. Acredito que no sentido de que as pedras, árvores, raízes, etc., tenham sido retiradas da planície para torná-la propícia para a realização da feira. Esse tema da desobstrução de planícies é bem recorrente no mito irlandês.

Para ter o arquivo em .pdf, clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário