domingo, 26 de fevereiro de 2017

As origens do lago Awe e do lago Ness

Agradeço à Annie Loughlinn, do blog Tairis Tales, que teve a gentileza de compartilhar esse texto conosco do livro da Eleanor Hull, citado na fonte abaixo.

Fonte: HULL. “Legends and Traditions of the Cailleach Bheara or Old Woman (Hag) of Beare,” em Folklore, Vol. 38, n. 3 (Sep. 30, 1927), p249-250. Disponível em: < https://heelancoo.wordpress.com/2012/02/18/loch-awe-ii/>. Acesso em: 11 de fevereiro de 2017.

O lago Awe e o lago Ness

                As histórias escocesas sobre a Cailleach são de longe mais vivas e mais famosas que as da Irlanda. Elas a descrevem como uma bruxa de um único olho, idosa, que reinava sobre as Quatro Divisões Vermelhas do Mundo. Ela criou rios e formou muitos lagos. O lago Awe foi criado devido ao seu esquecimento, pois ela tirava água diariamente de um poço em Ben Cruachan, Argyle, tirando a tampa de pedra do poço pela manhã e o tampando a noite, mas uma noite ela se esqueceu de cobrir o poço, e estando furiosas por terem sido esquecidas, as águas se levantaram e derramaram pela encosta da montanha abaixo, rugindo como uma torrente. Na manhã, o vale foi preenchido com água e o lago Awe foi criado. Conta-se essa história para a origem de muitos rios e lagos. O rio Boyne foi criado dessa forma na Irlanda, devido à imprudência da ninfa que servia o poço, que desafiando todas as leis da crença do povo, ousou caminhar três vezes em “withershins”1 ao redor do poço. As águas do poço se levantaram furiosamente sobre ela, expulsando-a para o mar.


                Tudo o que ela deixou para trás ganhou o seu nome, assim como o rio. Isso também é contado sobre a Cailleach, que tinha outro poço em Inverness que tinha que ser mantido coberto da alvorada ao crepúsculo. Sua empregada Nessa cuidava do poço, mas em uma noite ela chegou atrasada até ele, e quando se aproximou, a água estava jorrando do poço, seguindo-a. Ela se virou e fugiu, mas Beira, que estava vigiando do cume de Ben Nevis, gritou, “Tu correrás para sempre pois negligenciaste o teu dever e tu nunca deixarás a água.” A garota se transformou em um rio e deu o seu nome para o lago e o rio Ness. Uma vez por ano, na data de sua transformação, Ness sai de seu rio e reassume sua forma como humana, cantando uma triste e doce canção na luz do luar.

Notas de tradução 

1. Withershins. Sentido anti-horário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário