sábado, 29 de outubro de 2016

O lamento da Velha Mulher de Beare

O lamento da Velha Mulher de Beare
Aithbes dam bés mora1

A Velha Mulher de Beare disse isto quando a senilidade a envelheceu:

“O refluxo da maré chegou para mim como no mar;
A velhice me torna amarela;
Apesar de eu poder me entristecer por isso,
Ele se aproxima de seu sustento alegremente.

Eu sou Buí, a Velha Mulher de Beare2;
Eu costumava vestir uma bata que era sempre renovada;
Hoje aconteceu, pela razão de meu desprezível estado,
De eu não poder ter nem mesmo uma bata velha para vestir.

São as riquezas
Que tu ama, e não o povo;
Quanto a nós, enquanto vivíamos,
Foi o povo que amamos.

Amado era o povo
Cujas planícies onde cavalgamos;
Bem passamos entre eles,
E eles se gabavam pouco depois disso.

Hoje, de fato, tu és bom na reivindicação,
E não és pródigo ao permitir a reivindicação;
Embora seja pouco o que concedes,
Grandemente tu se vangloria.

Velozes bigas
E corcéis que carregavam o prêmio,
Existia, por um tempo, uma inundação deles:
Uma bênção para o Rei que os garantia!

Meu corpo, cheio de amargura,
Busca ir para uma morada onde seja conhecido (?):
Onde o Filho de Deus julga seu tempo,
Deixe-o vir para levar Seu depósito.

Quando meus braços são vistos,
Ossudos e magros!
A arte que eles costumavam praticar era agradável:
Eles costumavam ficar em cima de gloriosos reis.

Quando meus ossos eram vistos,
Ossudos e magros,
Eles não são, eu declaro,
Dignos de envolverem agradáveis jovens.

As donzelas ficam alegres
Quando chega o primeiro de Maio3;
A dor é mais apropriada para mim:
Não sou apenas miserável, mas também uma velha.

Eu não falo palavras doces;
Carneiros castrados não são abatidos para meu casamento;
Meu cabelo é escasso e grisalho;
Ter um ruim véu sobre ele não me causa remorso.

Ter um véu branco
Sobre minha cabeça não me causa dor;
Muitas coberturas de todas as cores
Estavam em minha cabeça enquanto bebíamos boa cerveja4.

Não invejo ninguém velho,
Exceto apenas Feimen:
Quanto a mim, eu tenho usado as vestes de uma pessoa velha;
A colheita de Feimen ainda é amarela.

A Pedra dos Reis em Feimen,
A Morada de Rónán em Bregun,
Estão duradouros desde que as tempestades alcançaram suas faces;
Mas eles não estão velhos e murchos.

Eu sei o que estão fazendo:
Eles enfileiram e enfileiram (?);
Os juncos de Ath Alma,
Fria é a morada onde dormem.

Ai, o dia (?)
Que eu não navegue pelo mar dos jovens!
Muitos anos de minha beleza foram embora,
Pois minha libertinagem foi usada.

Ai, o dia (?)!
Agora, qualquer que seja a neblina (?),
Eu tenho que colocar minhas vestes mesmo quando o sol brilha:
A velhice está em mim; eu mesma reconheço.

O verão da juventude no qual estivemos
Eu vivi com seu outono;
O inverno da idade que oprime a todos,
Seu primeiro mês chegou até mim.

Eu vivi minha juventude no início;
Estou satisfeita com minha decisão:
Embora meu salto nos muros tenha sido pequeno,
A capa ainda não teria sido nova.

Deliciosa é a capa de verdes
Que meu Rei espalhou sobre Drumain.
Nobre é Ele que o enche:
Ele concedeu lã para a capa após o áspero pano.

Eu sou fria, de fato;
Toda bolota está condenada ao declínio.
Após festejar diante de brilhantes velas
Estou na escuridão de um oratório!

Eu tive meus dias com reis,
Bebendo hidromel e vinho;
Agora bebo soro de leite e água
Entre velhas enrugadas.

Que um copinho de soro de leite seja minha cerveja;
Que o que quer que possa irritar-me seja a vontade de Deus;
Orando para ti, ó Deus vivo,
Que eu dê (...) contra a raiva.

Vejo em minha capa as manchas da idade;
Minha razão começou a me enganar;
Grisalho é meu cabelo que cresce através de minha pele;
Minha pele é como a decadência de uma árvore antiga.

Meu olho direito foi tirado de mim
Para ser vendido em uma terra que será para sempre minha;
O olho esquerdo também foi tirado,
Para tornar mais segura a minha reivindicação por aquela terra.

Há três enchentes
Que se aproximdam da fortaleza de Ard Ruide:
Uma enchente de guerreiros, uma enchente de corcéis,
Uma enchente de cães-de-caça cinzentos dos filhos de Lugaid.

A onda da enchente
E daquela rápida vazante:
O que a onda da enchente lhe traz
A onda da vazante tira da sua mão.

A onda da enchente
E essa segunda onda que é a vazante:
Todas vieram para mim
De forma que sei como reconhecê-las.

A onda da enchente,
Que o silêncio de minha cave não venha até ela (?)!
Embora meu séquito na escuridão seja grande,
Uma mão foi colocada sobre todos eles (?).

O Filho de Maria
Teve o conhecimento de que ele estaria sob a viga de minha cave!
Embora eu tenho praticado a liberalidade em nenhuma outra forma,
Nunca disse ‘não’ para alguém.

É totalmente triste
(o homem é a mais vil das criaturas)
Que a vazante não seja vista
Como a enchente é.

Minha enchente
Tem guardado bem aquilo que me foi depositado.
Jesus, o Filho de Maria, a salvou,
Até a vazante (?) para que eu não ficasse triste.

É bom para uma ilha do grande mar:
Que a enchente chegue até ela após sua vazante;
Quanto a mim, espero,
Nenhuma enchente após a vazante virá.

Hoje há dificilmente
Uma morada que eu reconheça;
O que estava na enchente
Está tudo vazando.”

Fonte: MURPHY, Gerard. Early Irish Lyrics: Eight to Twelfth Century. Oxford: OUP, 1956. Disponível em: <http://www.maryjones.us/ctexts/beare.html>. Acesso em: 29 de setembro de 2016.   

Notas de rodapé

1. Aithbes dam bés mora. O título significa a primeira frase do poema, “O refluxo da maré chegou para mim como no mar”, portanto, não sei se realmente se trata do nome do texto.

2. A Velha Mulher de Beare. À título de curiosidade, em uma tradução literal do irlandês teríamos essa frase traduzida como “Eu sou Caillech Bérri, Buí.”

3. Primeiro de Maio. O primeiro de Maio é a data tradicional para o Beltane, o festival que celebra o esplendor e o auge do sol, celebrando oficialmente a chegada do verão nas terras gaélicas.

4. Cerveja. O termo original é ale, que apesar da tradução ser cerveja, a palavra tem um sentido diferente da nossa cerveja brasileira. O ale, segundo o site “Wikipédia”, é um tipo de cerveja produzida a partir da cevada maltada onde se usa uma levedura capaz de fermentar a cerveja rapidamente e proporcionar um sabor de frutas devido a componentes químicos encontrados nessa levedura.

Para ter a versão em .pdf, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário