quinta-feira, 30 de junho de 2016

O Brownie escocês

O BROWNIE ESCOCÊS1

                O Brownie escocês forma uma classe de seres diferentes dos bizarros e maliciosos elfos, tanto no hábito como no caráter. Ele era magro, peludo e tinha a aparência selvagem.


                Durante o dia, ele se escondia em um lugar remoto das casas antigas que ele deliciava-se em habitar, e à noite, aplicadamente ele se encarregava de qualquer tarefa trabalhosa que ele acreditava que pudesse ser aceitável para a família a cujo serviço ele tinha se dedicado. Pelo contrário, tão delicada é sua ligação que a oferta de uma recompensa, particularmente de comida, infalivelmente provoca seu desaparecimento. É dito de um Brownie, que servia a família Border, agora já extinta, que a senhora tendo começado inesperadamente o trabalho de parto, e a criada, que foi pedida para cavalgar até Jedburgh para chamar a parteira, não demonstrando grande alerta durante sua ida, o espírito da casa deslizou para o grande casaco da vagarosa criada e cavalgou para a cidade no melhor cavalo do proprietário daquelas terras, retornando com a parteira na garupa. Durante o curso espaço de sua ausência, o rio Tweed, que eles precisavam necessariamente vadear, subiu até uma altura perigosa. O Brownie, que transportava sua carga com toda rapidez, não foi impedido por esse obstáculo. Ele lançou-se no rio com a velha aterrorizada e a deixou em segurança onde seus serviços eram solicitados. Tendo colocado o cavalo no estábulo (onde o cavalo posteriormente foi encontrado em grande apuro), ele foi até o quarto do criado cujo dever ele tinha o exonerado, e, encontrando-o bem no ato de colocar suas botas, deu-lhe uma surra sem misericórdia com seu chicote de cavalo. Esse importante serviço excitou a gratidão do proprietário de terras, que, entendendo que o Brownie expressou o desejo de ter um casaco verde, ordenou que uma vestimenta daquela cor fosse feita e deixada em seus cantos. O Brownie pegou o casaco verde, mas nunca mais foi visto de novo. Podemos supor que, cansado de sua labuta doméstica, seguiu para seu novo trabalho para se juntar às fadas.

Notas de rodapé

1. Sir Walter Scott, na obra The Minstrelsy of the Scottish Border (NT: Esta obra é uma coleção de baladas escocesas compilada por Walter Scott).


Fonte: DOUGLAS, George. Scottish Fairy and Folk Tales. 1901. Disponível em: <http://www.sacred-texts.com/neu/celt/sfft/sfft50.htm>. Acesso em: 30 jun 2016 

Nenhum comentário:

Postar um comentário