domingo, 8 de fevereiro de 2015

O conto de Oisin e Sadb (versão escocesa)


O conto de Oisin e Sadb

"Fionn tinha uma amante fada, uma filha do povo dos montes, mas Fionn a abandonou e se casou com a filha dos filhos dos homens. A fada ficou furiosa por essa desconsideração e lançou um feitiço fith-fath na esposa de Fionn, transformando-a em uma corça da colina. 


A esposa de Fionn deu a luz a um filho na ilha de Sanndraigh em Loch-nan-ceall, em Arasaig. A mãe possuía tanto a natureza da corça que lambia a têmpora da criança quando nasceu, mas ela possuía tanto a natureza de mulher que deu apenas uma lambida. Mas o cabelo como o pelo de um gamo cresceu na parte da têmpora que a língua da mãe-corça tinha tocado. E devido a essa parte de pelo de gamo em sua têmpora, a criança foi chamada de “Oisein”, o gamo. Quando ainda era um menino, Ossian seguiu Fionn e os Feinne a uma colina de caça para caçar o cervo da montanha. No meio da caçada, uma névoa mágica mais escura que a noite veio até os caçadores, cegando-os um do outro e da sua volta – ninguém sabia onde estava ou onde estava o outro. Um sentimento de caça se abateu sobre Ossian e ele vagou sozinho e cansado até se encontrar em um profundo vale verde rodeado de altas montanhas azuis. Conforme caminhava, viu uma tímida corça pastando em um verde corrie diante dele. Ossian achou que nunca tinha visto uma criatura tão adorável como essa tímida corça e ficou parado observando-a com alegria. O espírito de caça, porém, era forte em Ossian e o sangue do caçador estava quente em suas veias, e então sacou sua lança para atirá-la na corça. A corça virou e olhou para Ossian, observando-o com seus olhos cinza cheios de saudade, mais adoráveis e encantadores que os olhos azuis do amor. “Não me machuque, Ossian,” disse a corça, “eu sou sua mãe sob o ‘fith-fath’, na forma de uma corça quando estou fora e na forma de uma mulher quando estou em casa. Você está faminto, sedento e cansado. Venha comigo para casa, gamo do meu coração.” Ossian acompanhou a corça passo-a-passo até chegarem a uma rocha na base da colina. A corça abriu uma folha em uma porta na rocha onde não parecia ter porta alguma, e entrou com Ossian a seguindo. Ela fechou a porta-folha na rocha e não havia mais porta. A graciosa corça se transformou em uma linda mulher, como a adorável mulher do vestido verde e cachos de ouro. Havia luz no interior da montanha como a luz de “trath-nona la leth an t-samhraidh” – o meio dia do solstício de verão. Esta não era a luz do sol, nem a luz da lua, nem a luz da estrela da orientação. Sua mãe preparou comida, bebida e música para Ossian. Ela colocou comida em um lugar para ele comer, colocou bebida em um lugar para ele beber e colocou música em um lugar para ele escutar. Ossian comeu, bebeu e escutou música até ficar satisfeito – suas sete saciedades. Após festejar, Ossian disse para sua mãe, “Estou indo mãe, para ver o que Fionn e os Feinne estão fazendo na colina de caça.” Sua mãe colocou os braços ao redor de seu pescoço e beijou Ossian com os três beijos de uma mãe, e abriu a porta-folha na casa e o deixou sair. Quando ela fechou, não havia porta na rocha.
 Ossian comeu, bebeu e escutou música na casa com sua mãe por um espaço de três dias, como pensou, mas ao contrário, ele tinha estado na casa por um espaço de três anos. Ele fez uma canção, a primeira canção que fez, alertando sua mãe contra os homens e os cães dos Feinne." 

Fonte: CARMICHAEL, Alexander. “Carmina Gadelica: Hymns and Incantations, volume 2.” Disponível em: <http://www.sacred-texts.com/neu/celt/cg2/index.htm>
 
Para ler a canção de Oisin para sua mãe e saber mais sobre o Fath Fith, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário