quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Música: Brighid, Damh the Bard





Brighid
(Damh the Bard)

“Há uma árvore junto ao poço no bosque,
Que está coberto de guirlandas,
Paninhos e fitas que flutuam,
No ar frio da manhã.
Foi onde encontrei uma antiga mulher,
Que veio de uma terra distante.
Segurando uma chama sobre o poço,
E cantando uma oração.

(Refrão)
Deusa do fogo, Deusa da cura,
Deusa da primavera, bem-vinda de novo.

Ela me disse que tinha sido uma prisioneira,
Presa em uma montanha,
Levada pela Rainha do Inverno,
No final do verão,
Mas em sua prisão, ela escutou o feitiço,
O povo estava cantando,
Três dias de verão,
E as campanulas estão florescendo novamente.

Ela falou da Cela de Carvalho,
Onde uma chama ainda está queimando,
Dezenove sacerdotisas vigiam a Chama Eterna,
Oh mas de você, minha Senhora,
Nós ainda estamos aprendendo,
Brighid, Brigantia,
A Deusa de muitos nomes.

Então vi seu reflexo em um poço espelhado,
E olhei profundamente em sua face,
A velha mulher havia ido, uma donzela agora se ajoelhou em seu lugar,
E do meu bolso puxei uma futa,
E em honra à sua juventude,
Amarrei lá na árvore junto ao poço no bosque.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário