domingo, 1 de setembro de 2013

Poesia

16°. dia - Poesia

 Resumidamente, a poesia sempre desempenhou um papel importante nas antigas nações célticas. Através dela, o conhecimento era transmitido. Os fili eram os responsáveis por transmitir esse conhecimento, que poderia ser mitos e genealogias. A poesia também servia como uma forma de louvor à Reis que fossem bondosos e éticos; caso contrário, a mitologia nos mostra que se um rei não agisse com justiça e bondade, seus poetas poderiam criar poesias de sátira, de escárnio e de zombaria, cujos resultados poderiam ser devastadores. Por vezes, a poesia também era usada para maldições, e a mitologia também nos conta que se tais maldições fossem lançadas de forma injusta, ao invés do alvo da maldição ser engolido pela terra com sua fazenda e seu gado, seria o poeta injusto com sua companhia que seria engolido pela terra com toda a sua fazenda, gado e riqueza. Canções de louvor, orações e encantamentos também tomam a forma de poesia, e isso nos mostra o quanto a poesia era importante e especial para os celtas, pois em uma cultura onde nada era escrito e tudo era passado de forma oral, a poesia, a fala e a eloquência eram de vital importância para a manutenção da cultura e suas tradições.

"Edain sai da colina de Midhir e se assenta
Ao lado do jovem Aengus em sua torre de vidro,
Onde o tempo é afogado em ventos de odores
E luas druídicas, e murmúrios de galhos,
E galhos sonolentos, e galhos onde as maçãs são feitas
De opala e rubi e pálido crisólito
Despertam fogos vigilantes e tece sete notas,
Doce com todas as músicas, de seu cabelo comprido,
Pois as mãos dela se tornaram selvagens pelo amor.
Quando a esposa de Midhir a transformou em borboleta,
Ele fez uma harpa com a macieira druídica,
Para que ela entre seus ventos pudesse saber se ele chorava;
E a partir daquela hora, ele protegia nada mais
Que apaixonados fiéis."  - A Harpa de Aengus, "Later Poems" de YEATS, William Buttler. 1922.
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário