segunda-feira, 6 de maio de 2013

A luta contra os Fir Bolg

Fonte: Gods and Fighting Men, de Lady Gregory.

Parte I, livro I
A luta contra os Fir Bolg
Imagem de Maria Madalena O'Neill
 
 Foi em uma bruma que os Tuatha de Danann, o povo dos deuses de Dana, ou como alguns os chamam, os Homens de Dea, vieram pelo ar, e do alto ar, para a Irlanda.
 Eles vieram do norte, e lá eles tinham quatro cidades onde travaram suas batalhas pelo conhecimento: a grande Falias, a brilhante Gorias, Finias e a rica Murias que ficava ao sul. Nessas quatro cidades eles tinham quatro sábios que ensinavam a seus jovens a habilidade, o conhecimento e a perfeita sabedoria: Senias em Murias, Arias, o poeta loiro em Finias; Urias da natureza nobre em Gorias e Morias em Falias. Dessas quatro cidades, eles trouxeram seus quatro tesouros: uma Pedra da Virtude de Falias, que foi chamada de Lia Fail, a Pedra do Destino; de Gorias eles trouxeram uma Espada, de Finias, uma Lança da Vitória, e de Murias, o quarto tesouro, o Caldeirão em que ninguém ficaria insaciável.

 Nuada foi o rei dos Tuatha De Danann naquela época, mas Manannan, o filho de Lir, era maior. Os outros chefes que estavam entre eles era Ogma, irmão do rei, que os ensinou a escrita, Dian Cécht, que entendia de cura, Neit, um deus da batalha, Credne, o homem das artes e Goibniu, o Ferreiro. As maiores mulheres eram Badb, uma deusa da batalha, Macha, cujo mastro era a cabeça dos homens mortos em batalha, Morrigu, a Gralha da Batalha, Eire, Fotla e Banba, filhas do Dagda, que deram seus nomes para a Irlanda posteriormente, Etain, a protetora dos poetas e Brigit, mulher da poesia, os poetas a cultuavam, pois seu manuseio da poesia era muito grande e nobre. Além disso, ela era uma mulher da cura, do trabalho do ferreiro e também foi a primeira mulher a assobiar para chamar uma outra pessoa durante a noite. O significado de seu nome é Breo-saighit, uma flecha flamejante. Entre as outras mulheres existiam muitas formas em sombra e grandes rainhas, mas Dana, que era chamada de a Mãe dos Deuses, estava além de todas elas.
 As três coisas que eles colocavam acima de tudo era o arado, o sol e a aveleira, pois diz-se que na época em que vieram, a Irlanda foi dividida em três: Coil, a avelã, Cecht, o arado e Grian, o sol.
 Eles tinham um poço debaixo do mar onde nove aveleiras da sabedoria cresciam, que eram as aveleiras da inspiração e do conhecimento da poesia. Suas folhas e flores caíram na mesma hora dentro do poço em uma chuva que criou uma onda roxa. Cinco salmões que estavam esperando lá então comeram suas avelãs, fazendo com que sua cor passasse a ter manchas vermelhas, e qualquer pessoa que comesse um daqueles salmões teria todo o conhecimento e saberia tudo de poesia. Existia lá sete rios de sabedoria que saia do poço e voltava novamente, e todos os povos das muitas artes bebiam daquele poço.
 Foi no primeiro dia de Beltaine, que agora é chamado de primeiro de maio, que os Tuatha De Danann chegaram, desembarcando no noroeste de Connacht. Porém, os Fir Bolg, os Homens do Saco, já estavam na Irlanda antes deles, e aqueles que vinham do Sul viam nada apenas uma névoa que se deitava nas colinas.
 Eochaid, filho de Erc, era o rei dos Fir Bolg naquela época, e os mensageiros foram até ele em Teamhair para lhe contar que uma nova raça de pessoas havia chegado à Irlanda, mas se eles tinham chegado pela terra, pelos céus ou pelo vento eles não sabiam, e haviam se instalado em Magh Rein.
 Todos pensaram que Eochaid ficaria surpresa quando escutasse as notícias, mas não houve espanto nele pois ele havia tido um sonho durante a noite, e quando perguntou aos seus druidas o significado do sonho,  estes disseram que não demoraria muito para um forte inimigo vir contra ele.
 O rei Eochaid então se aconselhou com seus conselheiros, que concordaram em enviar um bom campeão até os estrangeiros para falar com eles. Eles então escolheram Sreng, que era um bom homem de briga, que levantou-se pegando seu forte escudo marrom-vermelho, suas duas lanças grossas e sua espada, e saiu de Teamhair indo em direção ao lugar onde os estrangeiros estavam, Magh Rein.
 Antes de Sreng chegar até o lugar, os vigias dos Tuatha De Danann o viram, e enviaram um de seus campeões, Bres, com seu escudo, sua espada e suas duas lanças, ao seu encontro para conversar com ele.
 Os dois campeões então marcharam em direção ao outro lentamente, olhando bem um para o outro, se admirando com a lança do outro até chegarem perto o suficiente para conversarem. Eles então pararam e colocaram seu escudo na frente de seus corpos, afundando-o no chão, e olharam então um para o outro sobre a borda do escudo. Bres foi o primeiro a falar, e quando Sreng escutou que era em irlandês que estava falando, a sua própria língua, ficou menos desconfortável, aproximando-se e os dois faziam perguntas um para o outro sobre suas famílias e raças.
 Depois de um tempo, eles colocaram seus escudos de lado, e Sreng disse que estava com medo das finas e afiadas lanças que Bres tinha em sua mão. Bres disse que também estava com medo das grossas lanças que viu com Sreng, e perguntou se todas as lanças dos Fir Bolg eram do mesmo tipo. Sreng tirou os laços de suas lanças para mostrar-lhe melhor, fazendo com que Bres as admirassem por serem tão fortes, pesadas e afiadas em suas extremidades, apesar de não terem pontas. Sreng disse que o nome de suas lanças era Craisech, e que elas se quebrariam entre os escudos e esmagaria carne e ossos, de forma que o seu impulso era a morte ou as feridas que nunca se curariam. Ele olhou então para as finas e afiadas lanças de pontas duras que estavam com Bres. No final, eles fizeram uma troca de lanças para que os campeões pudessem ver melhor a lança do outro. Bres então pediu para ele dizer aos Fir Bolg que se eles lhes dessem uma parte da Irlanda, seu povo ficaria contente e ficariam em paz, mas se eles recusassem, haveria batalha. Sreng e ele disseram um ao outro que não importasse o que acontecesse no futuro, eles seriam amigos.
 Sreng voltou então para Teamhair, deu a mensagem e mostrou a lança, e disse para seu povo dividir o país e não travar batalhas com um povo que tinham armas muito melhores que as suas. Eochaid e seus chefes se consultaram, dizendo por último: “Não daremos metade do país para estes estrangeiros, pois se dermos,” disseram eles, “eles logo tomarão tudo.”
 Quanto aos Homens de Dea, quando Bres voltou para eles e os mostrou a pesada lança, falando do homem feroz e forte que a tinha, e o quanto ele era robusto e bem armado, eles pensaram que era provável que teria batalha em breve. Eles então foram para um lugar melhor de onde estavam, mais a oeste de Connacht, onde se estabeleceram fazendo muros e valas na planície de Magh Nia, onde tinha uma grande montanha na parte de trás, Belgatan. Enquanto estavam se mudando para lá e levantando seus muros, três de suas rainhas – Badb, Macha e Morrigan – foram para Teamhair onde os Fir Bolg estavam fazendo seus planos. Pelo poder de seus encantamentos, elas trouxeram brumas e nuvens de escuridão sobre todo o lugar, enviando chuvas de fogo e sangue sobre o povo, de forma que eles não podiam ver e nem falar com ninguém durante três dias. No final daquele tempo, os três druidas dos Fir Bolg – Cesard, Gnathach e Ingnathach – quebraram o encantamento.
 Os Fir Bolg reuniram seus homens e foram com seus onze batalhões, tomando sua posição na extremidade leste de Magh Nia.
 Nuada, rei dos Homens de Dea, enviou seus poetas para fazer a mesma oferta que fizeram antes, pois ficariam contentes se metade do país fosse dada a eles. O rei Eochaid enviou seus poetas para ter uma resposta de seus chefes que estavam reunidos lá, e quanto escutaram a oferta, não consentiram. Os mensageiros então perguntaram quando a batalha começaria. “Precisamos de um adiamento,” disseram eles, “pois queremos tempo para colocar nossas lanças e armaduras em ordem, para polir nossos capacetes e afiar nossas espadas e para fazer lanças como a que vocês tem. E quanto a vocês,” eles disseram, “vocês irão querer ter lanças como as nossas Craisech feitas para vocês.” Eles então concordaram em adiar a batalha por um quarto do ano para a preparação.
 Foi no Solstício de Verão que a batalha começou. Três vezes nove arremessadores dos Tuatha De Danann foram contra os três vezes nove arremessadores dos Fir Bolg; eles se bateram e cada um deles foi morto. O rei Eochaid enviou um mensageiro para perguntar se eles teriam batalha todos os dias ou a cada segundo dia. Nuada respondeu que teriam batalha todos os dias, mas que seria justo se o mesmo número de homens estivessem lutando de cada lado. Eochaid concordou, mas não ficou satisfeito, pois havia mais homens dos Fir Bolg do que dos Homens de Dea.
 A batalha então durou quatro dias, com muitas grandes façanhas sendo feitas em cada lado e muitos grandes campeões morrendo. Para aqueles que continuaram vivos no entardecer, os médicos de cada lado fizeram um banho de cura, colocando todo o tipo de plantas ou ervas curativas nele, de forma que todos estariam fortes e sãs na batalha do dia seguinte.
 No quarto dia, os Homens de Dea tiveram vantagem e os Fir Bolg recuaram. Uma grande sede se abateu sobre Eochaid na batalha, saindo então para procurar um campo para uma ter uma bebida, com três vezes cinquenta de seus homens o protegendo, porém, três vezes cinquenta dos Tuatha De Danann o seguiram até chegarem a uma costa que agora é conhecida como Traigh Eothaile, lutando ferozmente ali até por último o rei Eochaid morrer, sendo enterrado ali com uma grande pilha de pedras sobre seu túmulo.
 Quando restaram apenas trezentos homens dos onze batalhões dos Fir Bolg com Sreng a seu comando, Nuada os ofereceu paz e a escolha deles entre as cinco províncias da Irlanda. Sreng disse que tomariam Connacht, e então, seu povo foi morar lá, e posteriormente, seus filhos. Foi um deles, Ferdiad, que teve uma grande luta contra Cuchulainn, e Erc, o filho de Caibre, foi quem o matou. Aquela batalha foi então a primeira a ser lutada na Irlanda pelos Homens de Dea, chamado por alguns de a primeira batalha de Magh Tuireadh.
 Os Tuatha De Danann se apossaram de Teamhair, que as vezes era chamada de Druim Cain, o Belo Cume, Liathdruim, o Cume Cinza, e de Druim na Descan, o Cume do Panorama – todos estes foram os nomes dados a Teamhair. A partir daquela época, Teamhair estava acima de todos os outros lugares, pois seu rei era o Alto Rei de toda a Irlanda. O rath do rei estava ao norte, a Colina dos Reféns ao nordeste do Alto Assento, e o Gramado de Teamhair a oeste da Colina dos Reféns. Ao nordeste, na Colina do Sidhe, havia um poço chamado Nemnach, que dele saia um córrego chamado Nith, e naquele córrego, o primeiro moinho foi construído na Irlanda.
 Ao norte da Colina dos Reféns estava a pedra, a Lia Fail, que gritava sobre os pés de cada rei que tomasse posse da Irlanda. A Colina dos Três Sussurros ficava próximo a Casa das Mulheres que tinha sete portas para o leste e sete portas para o oeste, e era nesta casa que as festas de Teamhair aconteciam. Havia a Grande Casa dos Mil Soldados, e perto dela ao sul, a pequena Colina das Mulheres Soldados.                        

Nenhum comentário:

Postar um comentário