sexta-feira, 29 de março de 2013

A Morte de Ruadan


A Morte de Ruadan

 Nas vésperas da Batalha de Moytura, os Fomoire para observarem o que os Tuatha Dé estavam tramando, enviaram Ruadan – filho de Brés e Brigit -, pois ele era filho e neto de uns dos Tuatha Dé, e, portanto, eles não perceberiam. Ruadan relata para os Fomoire o trabalho dos três homens de arte: Goibniu, Luchtaine e Credne, contando também que se alguns dos guerreiros forem feridos em batalha, eles recuperariam sua saúde no Poço que os curandeiros fizeram.



 Os Fomoire então enviaram Ruadan novamente, mas dessa vez, era para matar Goibniu. Ruadan então pede para esse deus uma lança: Goibniu faz a ponta, Luchtaine faz o cabo e Credne faz os detalhes. A lança foi feita e dada a ele conforme ele pediu. Cron, a mãe de Fianlach afiou a lança para Credne, e finalmente a lança ficou pronta. Como a lança foi dada à Ruadan pelo lado da família de sua mãe, as vigas de um tecelão são chamadas até hoje na Irlanda de “a lança do lado maternal”.

 Assim que a lança foi dada para Ruadan, ele arremessou contra Goibniu, que por sua vez tirou a lança e a arremessou de volta para Ruadan. Ruadan fugiu para a assembleia de seu pai no campo dos Fomoire, e morreu lá. Nessa hora, a deusa Brigit veio e chorou pelo seu filho: primeiro gritou, e depois, chorou. Estes foram os primeiros gritos e choros que foram ouvidos na Irlanda, e foi Ela que inventou o assobio para sinalização à noite. De Brigit, nasceu a tradição de chorar pelos mortos.

Fonte: Cath Maige Tuired, “A Segunda Batalha de Magh Tuired”. (Versão traduzida de Elizabeth A. Gray).

Nenhum comentário:

Postar um comentário